TRADUTOR

Surpresa.....a Páscoa está a chegar!!

sábado, 26 de dezembro de 2009

Festa de Natal - TAE 1º e 2ºAno ESA

A festa de Natal organizada pelos alunos e professores do Curso De Técnicas De Acção Educativa do 1º e 2º Ano,da Escola Secundária de Amora-ESA.Realizada no dia 16 De Dezembro de 2009, pelas 20 horas.Espero que gostem,pessoalmente adorei participar neste projecto, acredito que vamos continuar a elaborar trabalhos como este,não se afastem e continuem a visitar o meu blog, até breve.
video

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

AS EMOÇÕES NA GRAVIDEZ









Tão inevitável quanto a barriga de uma grávida crescer é o humor mudar. E muito. E em poucos minutos. E quase sem razão nenhuma. O fato é comprovado por todas as gestantes. Sem exagero. Diante da pergunta "Seu humor muda muito durante a gravidez?", as respostas são: "Estou com os nervos à flor da pele", "Acho que enlouqueci", "Todo mundo me evita, tal o meu mau humor". Ninguém enlouquece por estar grávida. Mas que os sentimentos mudam a cada minuto - da euforia à depressão, da alegria à tristeza profunda -, isso é bem verdade. Parte dessa montanha-russa de emoções tem uma explicação científica - hormonal, para ser mais exata. E a saída para enfrentar os nove meses de cara alegre é simples: manter o bom humor.









A gravidez é um momento de profundas transformações, tanto no nível orgânico para a mulher, quanto no emocional para o casal. Para a mulher, além do corpo se modificar para poder abarcar uma nova vida, o psiquismo também precisa de uma transformação, uma vez que uma nova identidade começa a surgir: a de mãe. Em função disso, muitas vezes a gravidez modifica o relacionamento do casal e a percepção que se têm do corpo, o que muitas vezes acaba interferindo, tanto positiva, quanto negativamente na sexualidade do casal
Quando pensamos em energia emocional logo nos vem à idéia alguma coisa imaterial, não mensurável ou quantificável. Algo que os nossos olhos físicos não vêem, mas que o nosso coração sente. Mas afinal, porque ela é sentida às vezes como algo gratificante e impulsionador e outras como algo arrasador? Bom, para falarmos em energia emocional temos que nos remeter primeiramente ao conceito de EMOÇÃO. A emoção pode ser entendida como um estado de ânimo, uma reação intensa e breve de nosso organismo frente às situações, que provoca desordens neurovegetativas e reações psicofisiológicas. Este estado afetivo pode ter uma conotação agradável (positiva) ou penosa (negativa). Existem três tipos de emoções básicas que experienciamos desde o nosso nascimento: o medo, a raiva e o prazer. Daí se originam as demais. Por não termos o controle consciente da energia emocional, ela acaba nos levando a uma desorganização passageira, culminando com um desequilíbrio, uma perturbação de nossa organização intelectual e cognitiva. Quando, porém, esta emoção se prolonga começamos a tentar nos organizar. Utilizamos nossos recursos mais profundos, nossa cognição, nossa capacidade de reflexão e aí atribuímos um SIGNIFICADO à mesma. Neste momento, o que era EMOÇÃO passa a ser um SENTIMENTO. Ou seja, um estado afetivo mais tranqüilo, duradouro e estável que será experimentado mais em termos de vivência interna. Aqui nossa reação corporal será mais tênue e discreta.
A grávida vive momentos muito intensos, vamos conhece-los:
Um dia, acorda bem disposta e feliz. No outro, em compensação, nem quer olhar parao espelho. O pior é que estas oscilações não têm, aparentemente, uma causa que as justifique.Há ainda a insegurança ea anciedade, sentimentos que acompanham sempre as situações novas da vida. Uma gravidez, mesmo que não seja a primeira, coloca a mulher perante o desconhecido.Tanta emotividade é explicada pelos especialistas como uma preparação necessária para o futuro papel de mãe. É como se a natureza a transformasse, tornando-a apta a amar e a cuidar do bebé. Somos compensadas com um aumento de percepção e sensibilidade- caracteristicas fundamentais nos primeiros contactos com a criança, quando a linguagem emocional é que importa.Existe um estado de inquietação, que provoca a diminuição da libido e um aumento da irritabilidade.E aquela barriguinha, que adora nalguns momentos, pode deprimila noutros, fazendo-a sentir-se pouco atraente.
CONCLUSÃO
Deverá lembrar-se de que a gravidez é também uma fonte de intermináveis emoções e certificar-se de que realmente a deseja para conseguir passar os próximos nove meses com muita felicidade, e recorde-se que o que sente vai transmitir ao seu filho...
Uma gravidez é algo grandioso, nós mulheres temos o dom expecial da reprodução.É importante conseguirmos aproveitar, da melhor maneira possível os nove meses que nos esperam, a felicidade e a montanha de sentimentos que nos invade o coração.
É maravilhoso ser mãe.

A família é......muito importante!